20 de mai de 2012

Em 2011, foram realizados um total de 1.732 transplantes – crescimento de 7,2% em relação a 2010. Hoje, há 1.205 pessoas aguardando pela identificação de um doador de medula óssea no país, onde as chances de encontrá-lo é de 1 em 100 mil. Entre elas, um menino de um ano e dez meses chamado Pedrinho que foi diagnosticado com leucemia. A doença fez com que ele passasse por várias sessões de quimioterapia, uma situação que exige muito de uma criança. Os pais de Pedrinho, Júlia e Vando Ribeiro, realizam campanhas na internet que buscam sensibilizar as pessoas sobre a importância de serem doadores e ajudarem na cura de crianças e adultos com doenças hematológicas. Você pode conferir o trabalho desses pais no blog Casa do Pedro e também conhecer mais a fundo a história de Pedrinho e sua luta. Na descrição do blog, é possível entender a importância de ser um doador: “Para o doador, a doação será apenas um incômodo passageiro. Para o doente, será a diferença entre a vida e a morte. A doação de medula óssea é um gesto de solidariedade e de amor ao próximo”.